Sexta-feira, 27 de Fevereiro de 2009

99,9% dos portugeses acreditam que um dia vão morrer

 

O Público veste hoje a capa negra da desgraça, disfarça-se de ceifador envergando a gadanha, e faz-me vomitar.
 
Escreve na capa sobre (1) o “medo” dos portugueses em relação ao desemprego, no interior do jornal (2) que os portugueses estão “assustados”, e em letras garrafais também no interior do jornal, a colossal barbaridade: (3) “À espera da maior subida do desemprego dos últimos 23 anos”.
 
Ora, não só aquele título prova cabalmente que as outras duas expressões são indevidas e puro sensacionalismo jornalístico – entre estar “à espera” e ter “medo” ou estar “assustado” vai uma grande distância, e, estou em crer, não são expressões equivalentes –, como o próprio título revela uma de duas coisas: ou um abuso do sentido da evidência, e portanto uma manipulação grosseira dos leitores, ou um erro indesculpável.
 
Excluo a segundo hipótese, porque considero que um jornalista não erra assim.
 
Há portanto aqui manipulação e sensacionalismo desmedido. A única coisa de que o jornalista nos fala na notícia, é de uma questão que foi colocada aos portugueses (assim como aos restantes habitantes da União Europeia) sobre as suas expectativas em relação à evolução do desemprego:
 
“Como é que espera que o número de pessoas desempregadas varie durante os próximos doze meses?”
 
O resultado do indicador é dado pela “contabilização de respostas que vão de ‘subida aguda’ até ‘descida aguda’”, e, em Portugal, este “foi de 78 pontos, num máximo de 100 pontos”.
 
Será então o mesmo dizer “que as expectativas em relação à evolução do desemprego estão no mínimo dos últimos 23 anos” ou dizer que se está “à espera da maior subida do desemprego dos últimos 23 anos”?
 
Não, não é a mesma coisa, é totalmente diferente.
 

Mas a ideia que fica é que os portugueses esperam o maior aumento do desemprego dos últimos 23 anos, e nada naquela questão permite concluí-lo.

 

Porque é que os jornais escrevem estas coisas, ultrapassa-me.

 

 

publicado por Carlos Lourenço às 10:20
link do post | comentar | favorito

Autores

Pesquisa no blog

 

Janeiro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Posts Recentes

O DN a começar o ano em p...

Os conhecimentos mais bás...

Que nome bué da louco, "h...

Para bom observador, meia...

O Luís Reis Ribeiro preju...

Um título, dois erros

Bomba Atómica: o Dinheiro...

O Público anda com a cabe...

Uma pequena história

Verificar fontes é para i...

Arquivo

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Março 2015

Fevereiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Principais Tags

correio da manhã(13)

desemprego(15)

diário digital(24)

diário económico(9)

dn(82)

economia(65)

estatísticas(22)

expresso(26)

inflação(13)

lusa(15)

matemática(12)

percentagens(26)

público(102)

publico(9)

rigor(9)

rtp(20)

rudolfo(16)

salários(10)

sensacionalismo(135)

sic(11)

todas as tags

Contacto do Blogue

apentefino@sapo.pt

Outros Blogs

subscrever feeds