Domingo, 16 de Março de 2008

Inflação e preços

O inevitável José Rodrigues dos Santos diz-nos no Telejornal de sexta-feira: "Os preços em Portugal mantiveram-se inalterados em Fevereiro, (...) a taxa de inflação homóloga manteve-se nos 2.9%". Alguém explica ao nosso José, e já agora aos demais jornalistas da RTP, que uma taxa de inflação positiva, mesmo que inalterada, implica sempre uma subida de preços? Pronto, explico eu. José, a taxa de inflação mede a variação percentual do nível de preços. Portanto, se o nível preços for 1 em dois anos consecutivos, então a taxa de inflação é zero. Se no segundo ano o nível de preços tiver descido para 0.9, então dizemos que a taxa de inflação foi de -10%. E se tiver subido para 1.1, então podemos dizer que a taxa de inflação foi de 10%. Eu sei que é difícil, mas agora podemos pensar ao contrário; se a taxa de inflação foi positiva, então o nível de preços teve obrigatoriamente de ter subido. Percebeste? Pronto, agora estuda bem isto antes de apresentares o próximo Telejornal.
Principais Tags: ,
publicado por Pedro Bom às 13:54
link do post | comentar | favorito
2 comentários:
De Freire de Andrade a 16 de Março de 2008 às 23:46
Parece-me que neste caso, excepcionalmente, o erro não é do José Rodrigues dos Santos. Se ouvi bem a notícia, a taxa de inflacção em Fevereiro, em relação ao mês anterior, Janeiro, foi de 0%. A inflação de 2,9% foi a homóloga, portanto em relação a Fevereiro de 2007. Se é assim, os preços em Fevereiro mantiveram-se inalterados desde o mês anterior, embora tenham subido com respeito ao ano anterior. Se estou errado, agradecia rectificação.
De Pedro Bom a 17 de Março de 2008 às 11:58
Caro Freire de Andrade,
Fui rever a dita peça do Telejornal e, de facto, é dito pelo meio que os preços se mantiveram de Janeiro para Fevereiro, pelo que a sua interpretação é legítima. No entanto, a forma como a notícia é dada é exactamente como eu referi: diz-se primeiro que os preços se mantiveram inalterados, logo a seguir diz-se que a taxa de inflação homóloga se manteve inalterada (isto na mesma sequência, usando o verbo "manter" nas duas frases), introduzindo no telespectador a ideia de que a primeira ideia é a consequência lógica da segunda. Depois, ainda dão a definição de inflação homóloga e chapam o 2.9% no ecrã. Só depois disto tudo, e meio nas entrelinhas (tanto que eu nem topei à primeira), é dito que não houve variação de preços de Janeiro para Fevereiro. Se era a isto que se referiam com a frase inicial (tenho muitas dúvidas sobre isso, muitas mesmo), então está correcto. Mas nesse caso não posso deixar de censurar a forma como a informação foi transmitida, induzindo claramente o telespectador em erro.

Comentar post

Autores

Pesquisa no blog

 

Janeiro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Posts Recentes

O DN a começar o ano em p...

Os conhecimentos mais bás...

Que nome bué da louco, "h...

Para bom observador, meia...

O Luís Reis Ribeiro preju...

Um título, dois erros

Bomba Atómica: o Dinheiro...

O Público anda com a cabe...

Uma pequena história

Verificar fontes é para i...

Arquivo

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Março 2015

Fevereiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Principais Tags

correio da manhã(13)

desemprego(15)

diário digital(24)

diário económico(9)

dn(82)

economia(65)

estatísticas(22)

expresso(26)

inflação(13)

lusa(15)

matemática(12)

percentagens(26)

público(102)

publico(9)

rigor(9)

rtp(20)

rudolfo(16)

salários(10)

sensacionalismo(135)

sic(11)

todas as tags

Contacto do Blogue

apentefino@sapo.pt

Outros Blogs

subscrever feeds