Quarta-feira, 10 de Dezembro de 2008

Possível: que pode acontecer ou praticar-se;

"No terceiro trimestre tivémos [sic Público] um crescimento negativo. É possível que no quarto trimestre [Portugal] também tenha um crescimento negativo" disse ontem Vítor Constâncio. Ou seja, há a possibilidade de as coisas ficarem na mesma (ou piorarem) em termos de crescimento. É impressionante como os pasquins gratuitos foram capazes de deturpar esta frase.

 

Recessão bate à porta, diz o Global em grande na capa.

Recessão à vista para Portugal, "informa" o Metro.

Recessão vai chegar no fim do ano, diz o Destak também em grande.

 

O Metro, apesar de ter o título menos aldrabado, consegue compensar a coisa com um subtítulo vergonhosamente enganador: Os dados económicos divulgados pelo INE indicam que não iremos escapar à tendência global.

 

O Público também fabricou uma notícia à volta desta frase de Constâncio. Depois de uma primeira notícia, onde se dizia que Vitor Constâncio tinha sublinhado que não havia "recessão técnica" (o que é óbvio e indiscutível), quando apareceu aquela frase, tivemos o Público a afirmar Vítor Constâncio admite, afinal, recessão técnica no final deste mês, insinuando que havia um recuo ou contradição, quando na realidade estavam em causa apenas duas coisas perfeitamente simples e compatíveis. Primeiro, houve um trimestre de crescimento negativo, e segundo, pode vir aí outro.

 

Por último, o incansável Rudolfo Rebêlo escreve no DN que Portugal já vive em recessão técnica, após o INE divulgar a quebra da economia no terceiro trimestre. Para este ano, o Banco de Portugal prevê um crescimento de 0,5% da economia, o que implica para o quarto trimestre um recuo de 0,3% em relação aos meses de Julho a Setembro. Ou seja,  mistura-se dados reais com previsões, mistura-se dados de fontes diferentes, pega-se num 0,5% e sabe-se lá mais o quê para chegar a 0,3%...

publicado por Miguel Carvalho às 14:30
link do post | comentar | favorito
8 comentários:
De teofilo m. a 10 de Dezembro de 2008 às 19:55
Porque é que temos a sensação de que quanto pior... melhor?

Porque é que os jornais e jornalistas andam a prestar esse tipo de serviços?

A quem interessará este tipo de notícias?
De Anónimo a 11 de Dezembro de 2008 às 09:51
Na página principal do jornal de negócios de hoje temos o fenómeno dos preços negativos. Mais uma vez não há noção de nada.

"09:16 Christian Noyer , membro do Conselho de Governadores do Banco Central Europeu BCE ), admitiu, em entrevista concedida ao Le Figaro ", que as expectativas para a inflação caíram e que os PREÇOS no consumidor podem mesmo vir a ser NEGATIVOS, em alguns meses, em 2009."

De Miguel Carvalho a 11 de Dezembro de 2008 às 11:57
Impressionante.
É mais uma vez a eterna confusão dos nossos jornalistas, entre um valor e a sua variação. Entre o preço e a inflação. Entre a riqueza e o crescimento dela. Entre a posição e a velocidade...
De Zé Manel a 11 de Dezembro de 2008 às 10:48
Curioso é que fiz um comentário ao Público última hora na internet reafirmando a falta de rigor nos títulos das notícias, resultado? O comentário não foi publicado (não tendo sido caso único). Comentando o comentário, estas notícias só interessam aos abutres...
Cumprimentos.
De Carlos Lourenço a 11 de Dezembro de 2008 às 12:29
Isso é grave, muito grave.
De Miguel Carvalho a 11 de Dezembro de 2008 às 12:46
Infelizmente, já me sucedeu o mesmo noutros jornais. E garanto que não foi por linguagem rude ou falta de respeito. Limitei-me a chamar a atenção para incongruências na notícia.. e os comentários não foram aprovados.
De Sérgio a 15 de Dezembro de 2008 às 13:48
"Impressionante. É mais uma vez a eterna confusão dos nossos jornalistas, entre um valor e a sua variação"

O que para mim é impressionante é a forma como vocês fazem, constantemente e com todo o à vontade, generalizações sobre toda uma classe profissional... Parece precisamente o contrário daquilo que vocês aconselham (e bem) aos jornais quando estes generalizam os resultados de um inquérito, por exemplo. Acho que deviam ter mais cuidado e rigor neste pormenor quando fazem os vossos posts. Com isso e com a forma como "adivinham" as intenções dos jornalistas quando estes escrevem os seus textos. Qualquer erro ou imprecisão é logo visto como uma tentativa de aldrabar os leitores para vender mais jornais. Acho que para tirarem essa conclusão é melhor verificarem se existe um comportamento repetido desse género por parte do jornalista (o que efectivamente sucede em alguns casos).
Ou têm mais cuidado com estas questões, ou então estão mesmo convencidos que um jornalista, por princípio, é ignorante e desonesto e nesse caso não há mesmo nada a fazer.
De Miguel Carvalho a 15 de Dezembro de 2008 às 14:33
Caro Sérgio,

tenho que lhe dar em parte razão. Não gosto de generalizações, e lamento que a minha frase tenha soado a generalização. Mas parece-me que você leu ali uma generalização abrangendo toda uma classe, que não existe. Apenas quis dizer que este blog está cheio (apinhado mesmo) daquele erro específico. Em lado nenhum disse, nem dei a entender, que todos os jornalistas o faziam.
Aliás, repare que se referiu a um comentário e não a um post (onde obviamente as regras "editoriais" e de bom-senso serão diferentes). Se realmente fazemos assim tantas generalizações (e de ânimo leve), porque não se referiu a um post?

Quanto a "adivinhar" as intenções, mais uma vez não sei se sei a que se refere. Neste post concreto é óbvio para todos, que as deturpações em causa nas capas são sensacionalistas (para lá de enganadores). Se são propositadas ou não, não sei, nem a isso me referi.

Já agora, sem qualquer segunda intenção, porque diz "ignorante e desonesto"? Não nos estava exactamente a pedir a distinção entre as duas coisas?

Comentar post

Autores

Pesquisa no blog

 

Janeiro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Posts Recentes

O DN a começar o ano em p...

Os conhecimentos mais bás...

Que nome bué da louco, "h...

Para bom observador, meia...

O Luís Reis Ribeiro preju...

Um título, dois erros

Bomba Atómica: o Dinheiro...

O Público anda com a cabe...

Uma pequena história

Verificar fontes é para i...

Arquivo

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Março 2015

Fevereiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Principais Tags

correio da manhã(13)

desemprego(15)

diário digital(24)

diário económico(9)

dn(82)

economia(65)

estatísticas(22)

expresso(26)

inflação(13)

lusa(15)

matemática(12)

percentagens(26)

público(102)

publico(9)

rigor(9)

rtp(20)

rudolfo(16)

salários(10)

sensacionalismo(135)

sic(11)

todas as tags

Contacto do Blogue

apentefino@sapo.pt

Outros Blogs

subscrever feeds