Segunda-feira, 2 de Janeiro de 2017

O DN a começar o ano em pequenino

A Ana Sanlez do DN assina um texto intitulado "Custo de vida dos portugueses subiu mais do que os salários", provavelmente o mais partilhado nas redes sociais neste início de ano. O objetivo da fama está alcançado, o da fidelidade à informação verdadeira é que enfim. Ora então, a jornalista propõe-se a comparar os preços com os salários, mas acaba por nem acertar nos primeiros, nem nos segundos.

1. Preços
Fala-se do preço do café (que alegadamente sobe 50%), o preço do bilhete de cinema (+86%), a viagem de metro (+180%), e outras ninharias. Eu poderia falar do preço de uma viagem a Londres (certamente mais barata hoje), um automóvel com ar condicionado e consumo de 5L/100km (que desceu certamente), o preço de um portátil com 2,4GHz e 500Mb de disco (que caiu a pique), etc. Mas isso não faz sentido; são meros exemplos.
O INE publica uma coisa que é o Índice de Preços no Consumidor que trata de fazer a média como deve ser. Porque é que não se usou este valor, algo que demora um minuto a ser feito? Talvez porque a subida de 2002 para 2015 tenha sido apenas de 26%, o que não é tão espetacular.

2. Salários
Apesar de se falar em salários no título, no texto fala-se apenas em salário mínimo. Esse parece que subiu 52%... ah bolas, o dobro da subida dos preços. A Ana Sanlez vai então buscar o rendimento disponível das famílias - que entra em conta com muitas outras coisas para além de salários. Mas nem aqui acerta. É que em vez de usar o rendimento per capita, usa o rendimento por agregado familiar. Ora se a Ana tiver um rendimento de 2000, e o namorado receber 1000, o rendimento do agregado é de 3000. No ano seguinte ambos têm um aumento de 50% mas separam-se. A Ana recebe 3000, o namorado 1500, e o rendimento médio dos agregados passa a 2250! Os rendimentos individuais subiram 50%, e o médio por agregado desce! Será que faz sentido dizer que os salários desceram? E também não custava ter visto (nem um minuto demorei) que o tamanho médio do agregado familiar em 2002 era 16% maior que em 2015. Logo, os valores não são comparáveis.

 

P.S.

A SIC Notícias faz uma peça baseada neste texto, e além de repetir os mesmos erros acrescenta outro. Diz que o salário mínimo já era 530€ em 2002!! Não há ninguém que já tivesse a primária feita em 2002 na SIC Notícias, para reconhecer o disparate?

 Post editado: incluído novo exemplo (vôo), de produtos cujo preço desceu.

Principais Tags: ,
publicado por Miguel Carvalho às 15:12
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
Sexta-feira, 17 de Julho de 2009

Estamos em último, se descontarmos os que estão para trás II

A Renascença diz que Portugal é dos que paga mais pela electricidade...

Na suposta fonte da notícia vemos que o preço médio da Electricidade doméstica é 17,73€ na UE27, 17,26€ na Zona Euro e somente 15,25€ em Portugal. O facto de estarmos na metade de baixo da tabela (16 países com preços mais caros) não parece sensibilizar a RR.

E já nem falo da electricidade industrial, onde o disparate seria ainda maior.

 

Principais Tags: , ,
publicado por Miguel Carvalho às 17:04
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Terça-feira, 6 de Maio de 2008

Sensacionalismo barato

A capa do Expresso deste sábado brindava-nos com umas setas apontadas para cima legendadas com "Leite 74%, Arroz 71%", etc... Lá dentro percebíamos que aquelas subidas eram subidas em categorias específicas, sendo portanto totalmente falso que o Leite como classe de produtos tenha subido 74% em média (seja lá qual fosse a média) como a capa tenta dar a entender.
Principais Tags: , ,
publicado por Miguel Carvalho às 23:32
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Quarta-feira, 2 de Abril de 2008

Depois do disparate do pão, agora o café

Um hino aos argumentos económicos idiotas, estas declarações de José Manuel Esteves, da Associação da Restauração e Similares de Portugal.

O preço duma bica vai custar um euro, segundo José Manuel Esteves, da Associação da Restauração e Similares de Portugal (ARESP). Segundo o secretário-geral da Associação, a subida em 30% do preço dos grãos de café

1. Tal como o trigo no pão, o preço do grão de café é uma pequeníssima parte do preço final do café servido. Rendas, impostos, mão-de-obra, electricidade, água, transportes, os custos da própria indústria do café que não vende os grãos em contentores à restauração, etc... etc... etc...

2. Mesmo que fosse 100% do preço, um aumento de 30% em 55 cêntimos, não chegaria aos 75 quanto mais a um euro.

Apesar de os preços serem liberalizados, o custo médio ronda os 55 cêntimos, o que significa que os aumentos vão duplicar a factura para o consumidor.

3. Aqui a idiotice é do jornalista Pedro H. Gonçalves... o que é que a liberalização do preço tem a ver com a "factura para o consumidor"? Que aliás nem nota que dos 30% passou para a duplicação... ou seja mais 100%.

(...) acrescentando que o aumento previsto não se deve à escassez da matéria-prima a nível mundial. "Há excedentes de café no mercado. O nosso problema são as bolhas de especulação que nem produtores nem consumidores controlam. Essas inflacionam os preços", salientou.
José Manuel Esteves referiu que a entrada de fundos de investimento anónimos "estão a comprar empresas de torrefacção em Portugal porque descobriram que é um grande negócio". Manuel Esteves deixa o aviso: "Os consumidores que se preparem"

4. Não sei se o raciocínio original era mesmo este que o jornalista apresenta... mas qual é o processo paranormal que leva dos investimentos em torrefacção aos aumentos dos preços?

5. Depois destas citações bem fundamentadas, qual é o título que o Pedro decide dar à notícia? Bica vai custar 1 euro. Mai nada!
Principais Tags: , ,
publicado por Miguel Carvalho às 18:25
link do post | comentar | favorito

Autores

Pesquisa no blog

 

Janeiro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Posts Recentes

O DN a começar o ano em p...

Estamos em último, se des...

Sensacionalismo barato

Depois do disparate do pã...

Arquivo

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Março 2015

Fevereiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Principais Tags

correio da manhã(13)

desemprego(15)

diário digital(24)

diário económico(9)

dn(82)

economia(65)

estatísticas(22)

expresso(26)

inflação(13)

lusa(15)

matemática(12)

percentagens(26)

público(102)

publico(9)

rigor(9)

rtp(20)

rudolfo(16)

salários(10)

sensacionalismo(135)

sic(11)

todas as tags

Contacto do Blogue

apentefino@sapo.pt

Outros Blogs

subscrever feeds