Sexta-feira, 20 de Junho de 2008

Ligeireza

Mais dados sobre o Inquérito Nacional sobre a Violência de Género, e mais uns exemplos sobre a ligeireza com que se enchem páginas de jornais com números falsos.

 

Ioli Campos no SOL: O único tipo de violência contra as mulheres que aumentou foi a agressão psicológica (53,9%); a violência física (22,6%) e a sexual (19,1%) decresceu no período em análise.

 José Bento Amaro no Público: Entre os três tipos de violência analisados no inquérito de 2007, apenas os casos de violência sexual diminuíram. Ainda assim, a sua prevalência em relação ao total apurado é de 27,5 por cento (...) cerca de uma em cada quatro mulheres.

 

1. Só nestas frases já sabemos que há (pelo menos) dois erros, porque os jornalistas contrariam-se duas vezes. (Imagino que a diferença entre os 19,1 e os 27,5, seja explicada pelo primeiro ser a percentagem dentro da violência que foi sexual, e o segundo a percentagem dentro das mulheres vítimas que se queixam de violência sexual, mas como os jornais trocam tudo não o posso confirmar).

2. Há também ali mais um erro, é que aquelas percentagens não são percentagens globais, são apenas dentro das mulheres que se declararam vítimas. Por exemplo, se 2% se declaram vítima, e dentro dessas 50% declaram-se vítimas de violência sexual, apenas 1% das mulheres foram vítimas e não 50% como nos apresentam. Para que não haja dúvidas que é esta a mensagem que é passada, aqui ficam as letras gordas do Público: "Uma em cada quatro mulheres foi molestada sexualmente". Ora, segundo os números na tabela do Público este número foi de 7%! Fazendo as contas com os 27,5%, foram 10%. O título é portanto falso.

 

3. Por último, o nosso erro matemático de estimação. Diz a Eduarda Ferreira no JN, desceu cerca de 10% (...) o número de portugueses que afirmam ter sido vítimas de violência. Ora uma descida de 48% para 38,1%, é uma descida de 21%. Para que a Eduarda fique a pensar: se de 20% para 10% vai metade, e metade é 50%, por que é que a Eduarda teria dito 10% de diminuição?

Principais Tags: , , , ,
publicado por Miguel Carvalho às 10:42
link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 29 de Fevereiro de 2008

Quando mete sondagens, sai disparate

Comento o texto do Paulo Martins no JN, por ser o mais completo e onde a sondagem foi publicada.. aliás os outros são geralmente cópias dos mesmos disparates.
1. PS, PSD e PP descem, PCP mantém-se. Apenas o BE sobe, mas sobe apenas 4pp ou seja bem menos do que as outras descidas. Da última vez que vi umas eleições a soma das percentagens ainda dava 100%... Ou o PCTP-MRPP disparou para os 7% ou 8% ou Paulo Martins está dizer-nos que nas próximas eleições a soma vai ficar abaixo dos 100%.
2. O que parece mais óbvio (como sempre não posso confirmar porque o JN online não tem a ficha técnica) é estarem a ser analisados os resultados em bruto, o que é errado por várias razões, como o facto de comparações entre meses deixarem de fazer sentido. Sendo assim, o Paulo mete outra argolada quando diz que os 39% do PS estão longe da maioria absoluta. É que descontando os indecisos, este valor seria bem mais alto. (P.S. não fiz as contas e logo não estou a querer dizer que o PS está perto da maioria absoluta, apenas a afirmar que não faz sentido pegar no 39% para fazer esta análise)
3. Diz o Paulo "Como o trabalho de campo desta sondagem teve lugar quase um mês após a remodelação governamental, que resultou no afastamento do ministro da Saúde, é legítimo inferir que ela não travou a curva descendente". Não Paulo, isso não é legítimo. Primeiro porque as margens de erro (não publicadas) muito provavelmente são maiores que a variação em causa Segundo porque não interessa apenas quando foi feita este trabalho de campo, mas também quando foi feito o trabalho de campo anterior... que foi há 4 meses! Teria que se comparar com sondagens imediatamente antes da saída do ministro, e em 3 meses pode ter havido muitas variações.
4. "O PSD perde 4%". Não Paulo, o PSD perde 4 pontos percentuais.
5. "Em conjunto, PSD e CDS atingem um score inferior em 4% ao do PS". Também não.. São outra vez 4 pontos percentuais.


Adenda/correcção
O Pedro Magalhães do CESOP da Católica, centro responsável pela sondagem em causa, já tinha respondido às minhas dúvidas no seu interessante blogue Margens de Erro, onde publica o relatório da sondagem. Com os novos dados, posso corrigir/aprofundar o que escrevi em cima, optando contudo por deixar o texto original.
1. A soma dos valores afinal dá mesmo 100%, eu só fui induzido em erro por haver 4pp que desaparecem. A explicação vem da previsão dos votos brancos/nulos que tem um número inesperadamente alto (5%) que não vinha referido na notícia, e de uma estranha série de coincidências nos arredondamentos para baixo.
2. Este meu ponto deixa de fazer sentido. Os 39% são o valor correcto a analisar, e logo o PS está claramente longe da maioria absoluta.
3. a 5. As críticas continuam pertinentes. Por curiosidade, e como eu antevia, a margem de erro é de 2,8% logo maior que as flutuações em causa.
Principais Tags: , ,
publicado por Miguel Carvalho às 12:06
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 27 de Dezembro de 2007

Uma sugestão não é uma lei

Os jornalistas tem um especial prazer sensacionalista em transformar sugestões de comissões técnicas ao governo em lei prontas a ser a aplicar. Recentemente e a propósito da apresentação do Livro Branco do código laboral tivemos títulos como "despedir será mais fácil" no DN e "Patrões têm que provar que os recibos verdes são verdadeiros" no JN, entre outros.
Escusado será dizer que estes relatórios são depois eventualmente debatidos, alterados e votados no governo, debatidos, alterados e votados no parlamento na especialidade, debatidos, alterados e votados no parlamento na especialidade, analisados e aprovados/vetados pelo Presidente da República e muito provavelmente (dada a natureza do tema) analisados pelo Tribunal Constitucional,... porque para estes jornalistas rigorosos o que interessa é chocar.
Principais Tags: , , ,
publicado por Miguel Carvalho às 01:33
link do post | comentar | favorito

Autores

Pesquisa no blog

 

Janeiro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Posts Recentes

Ligeireza

Quando mete sondagens, sa...

Uma sugestão não é uma le...

Arquivo

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Março 2015

Fevereiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Principais Tags

correio da manhã(13)

desemprego(15)

diário digital(24)

diário económico(9)

dn(82)

economia(65)

estatísticas(22)

expresso(26)

inflação(13)

lusa(15)

matemática(12)

percentagens(26)

público(102)

publico(9)

rigor(9)

rtp(20)

rudolfo(16)

salários(10)

sensacionalismo(135)

sic(11)

todas as tags

Contacto do Blogue

apentefino@sapo.pt

Outros Blogs

subscrever feeds